22 de setembro de 2018

NÃO ACEITE... NUNCA!


Na adolescência eu dizia: “Meu namorado pode bater em mim apenas uma vez”. Depois de casada mudei a frase para “Meu marido pode bater em mim apenas uma vez”.
É curioso como tanto na ocasião da primeira como na da segunda fase era – e ainda é – comum que eu seja interrompida imediatamente com algo do tipo: “Não! Você não pode permitir que ele te bata nem uma vez!”.
Acho muito legal a razão por que as pessoas reagem dessa maneira! Quer dizer que essas pessoas não aceitam de forma alguma que um homem tenha o direito de bater em sua namorada ou esposa, e isso é maravilhoso! É o que desejo muito que absolutamente todas as pessoas pensem, principalmente os homens.
Mas quando digo que um homem (namorado ou marido) pode bater em mim apenas uma vez não estou usando o verbo poder no sentido de permissão e sim de possibilidade. Afinal, pode acontecer de uma mulher estar com uma pessoa que até então deu mostras de ser um ser humano decente e, de repente, por alguma briga ou discussão, essa pessoa se mostra outra coisa e a mulher recebe um tapa, um soco ou outro tipo de pancada e, nesse momento, descobre que ele não era o que ela foi levada a crer que ele fosse. Acho que isso pode acontecer com qualquer mulher.
Então, quando digo minha frase, quero dizer que essa primeira vez pode acontecer comigo, mas que acontecerá apenas uma vez porque não haverá possibilidade de uma segunda. Não importa quanto arrependimento seja demonstrado, não importa quantos pedidos de perdão, quantas flores, quantos presentes, não importa nada. O relacionamento estará terminado no exato momento em que a pancada chegar e estará terminado irrevogavelmente e para todo o sempre.
O máximo que pensaria fazer se as tentativas de conseguir o perdão continuassem seria acionar a polícia. Perseguição é um crime que deve ser denunciado.
É isso que ignifica “Ele pode me bater apenas uma vez!”. E acho que é o que deve significar para toda mulher.


Nenhum comentário: